Dhammapada / Capítulo 6 / O sábio


Verso 76
Como aquele que mostra um tesouro,
É sábia a pessoa
Que vê suas faltas e as assinala.
Aproxima-te desse sábio.
Boa vontade, não má vontade,
Brotará do convívio.

Verso 77
Que alguém assim te aconselhe, te instrua
E te modere o comportamento.
Pessoas assim são gratas à gente boa,
Mas desagradam aos maus.

Verso 78
Não faças maus amigos,
Não convivas com gente inferior.
Faça amigos virtuosos,
Convive com as melhores pessoas.

Verso 79
Aquele que se abebera do Dharma
Dorme tranquilo, com mente lúcida.
O sábio sempre se deleita no Dharma,
Ensinado pelas pessoas nobres.

Verso 80
Aguadeiros carregam água,
Flecheiros fabricam flechas,
Carpinteiros trabalham madeira;
Sábios domam-se a si mesmos.

Verso 81
Assim como uma massa sólida de rocha
Não é movida pelo vento,
Assim o sábio não se curva
Ao elogio ou à censura.

Verso 82
Assim como um lago profundo
Permanece translúcido e sereno,
Assim o sábio é claro
Por ter ouvido o Dharma.

Verso 83
As pessoas virtuosas permanecem calmas,
Sem se incomodar com prazeres e desejos.
Tocado pela felicidade e depois pelo sofrimento,
O sábio não se mostra nem jubiloso nem deprimido.

Verso 84
Aquele que não busca sucesso por meios imorais,
Nem por si,
Nem pelos outros,
Não quer filhos, riqueza ou poder,
É pessoa de virtude, percepção e verdade.

Verso 85
Poucos são aqueles
Que alcançam a margem oposta.
Muitos são aqueles
Que ficam vagueando numa margem só.

Verso 86
Aqueles, porém, que se puseram de acordo com o Dharma,
O Dharma corretamente ensinado,
Irão além do reino da morte,
Tão difícil de atravessar.

Verso 87-88
Ali busca o deleite,
Renunciando aos desejos sensuais,
E nada possuindo.
O sábio deve purificar-se
Daquilo que corrompe a mente.

Verso 89
Cultivam a fundo os Passos do Despertar
Rompem os vínculos,
Gozam o desapego e,
Eliminando as toxinas,
Tornam-se luminosos
E completamente livres nesta vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário